quinta-feira, 10 de setembro de 2009

O que é texto?



Seriam tratadas como textos as produções feitas com as linguagens das artes plásticas, da música, da arquitetura, do cinema, do teatro, entre outras. Definições que se enquadram nesse caso:

A palavra texto provém do latim textum, que significa tecido, entrelaçamento. (...) O texto resulta de um trabalho de tecer, de entrelaçar várias partes menores a fim de se obter um todo inter-relacionado. Daí poder falar em textura ou tessitura de um texto: é a rede de relações que garantem sua coesão, sua unidade”. (INFANTE, Ulisses. Do texto ao texto. Curso prático de leitura e redação. Editora Scipione. São Paulo. 1991 )

"Embora a palavra texto tenha como referente 'conjunto verbal', podemos estendê-la aos signos em geral, definindo texto como um processo de signos que tendem a iludir seus referentes, tornando-se referentes de si mesmos e criando um campo referencial próprio.” PIGNATARI, Décio. Informação, linguagem, comunicação.

Se considerarmos um conceito amplo de letramento, queremos que os sujeitos sejam capazes de “ler” os mais diversos “textos” nas mais diversas linguagens. Lemos textos, escrevemos textos. Assim, podemos dividi-los em textos verbais e não-verbais e eles podem ser apresentados em duas formas básicas: prosa ou verso. Um texto pode ainda fazer referência a um outro. A esta permutação entre textos damos o nome de intertextualidade. Vamos a mais algumas definições?

“Um texto não é simplesmente uma seqüência de frases isoladas, mas uma unidade lingüística com propriedades estruturais específicas”. (KOCH, Ingedore G. Villaça. A Coesão Textual. São Paulo: Contexto, 1989. p. 11)

“Em sentido amplo, a palavra texto designa um enunciado qualquer, oral ou escrito, longo ou breve, antigo ou moderno. Caracteriza-se, pois, numa cadeia sintagmática de extensão muito variável, podendo circunscrever tanto a um enunciado único ou a uma lexia quanto a um segmento de grandes proporções. (GUIMARÃES, Elisa. A articulação do texto. Série princípios. Editora Ática. São Paulo. 1985.

"O texto será entendido como uma unidade lingüística concreta (perceptível pela visão ou audição), que é tomada pelos usuários da língua (falante, escritor/ouvinte, leitor), em uma situação de interação comunicativa específica, como uma unidade de sentido e como preenchendo uma função comunicativa reconhecível e reconhecida, independentemente da sua extensão." (TRAVAGLIA, Luiz Carlos.Gramática e interação: uma proposta para o ensino de gramática no 1º e 2º graus. São Paulo: Cortez, 1997.p.67.)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário